Categorias
Pedagógico

Letramento digital

Pedagógico

Como trabalhar o letramento digital

Você já ouviu falar no termo letramento digital? Na área da educação, o letramento digital está relacionado com o conhecimento necessário para saber como usar os recursos tecnológicos e da escrita no meio digital e como participar, de maneira crítica e ética, das práticas sociais da cultura digital.

Mobilizar práticas de cultura digital em diferentes linguagens, gêneros, mídias e ferramentas digitais é importante para expandir e criar sentidos nos processos de compreensão e produção dos alunos. Ao refletir sobre o mundo e realizar diferentes projetos autorais, os alunos participam ativamente da construção do conhecimento.

Como levar o letramento digital para as aulas

É importante trabalhar com o tema de maneira transversal e em várias frentes, como cidadania digital, mídias digitais, apropriação tecnológica e especificidades das tecnologias digitais da informação, da comunicação e midiáticas. 

Assim, os alunos refletem sobre diversos assuntos ao mesmo tempo em que se tornam produtores de conteúdo ao criar podcasts, blogs, e-books ou mesmo fazer um curta-metragem.

Conheça as mídias digitais às quais os alunos têm acesso

Um passo importante é fazer um diagnóstico inicial para identificar e conhecer os gostos dos estudantes e conferir as mídias que eles mais acessam. Dessa forma, você poderá potencializar o trabalho em sala de aula de maneira personalizada, uma vez que levará em conta o conhecimento prévio dos alunos ao trazer interatividade e pertencimento às atividades desenvolvidas.

Planeje suas atividades e objetivos

O planejamento é essencial para qualquer atividade. A definição dos objetivos e da ênfase que pretende dar a uma atividade para alcançar determinado resultado deve ser pensada com cuidado. Você quer trabalhar respeito, ética, apropriação tecnológica, mídias e linguagens digitais? O ponto de partida é sempre a aprendizagem.  

Abra espaço para o processo de criação

O processo criativo pode ser surpreendente. Propicie aos alunos que vivenciem a autoria com atividades de pertencimento. Umas das possibilidades é desenvolver, em sala, o remix, que permite trabalhar com algo já existente, transformando-o em um conteúdo diferente, derivado do original. Um exemplo é um pot-pourri de uma música ou um meme.

Envolva diversos gêneros digitais nas atividades

Atualmente, o mundo digital oferece grande diversidade de formas de comunicação – como fanfics, vlogs, charges e vídeos-minuto – que, por circularem amplamente nas mídias, já fazem parte do universo dos estudantes. Esses gêneros digitais podem ser transformados e adaptados para os conteúdos que estão sendo trabalhados em sala de aula.

Compartilhe sempre

Organize oficinas e feiras culturais para que os alunos tenham oportunidade de oralizar suas produções e trocar opiniões com os colegas. Outra maneira de levar esse conteúdo para mais pessoas é compartilhar as produções em eventos, como festivais de vídeos, e realizar intercâmbios entre salas/séries diferentes. Experiências como essas aguçam a criatividade e a inventividade e fazem com que os estudantes vivenciem na prática a cultura digital.

E você, querido professor, como está trabalhando com o letramento digital em sala de aula? Quais atividades você já desenvolveu com os alunos e quais ferramentas já utilizou?

E não deixe de trabalhar também a Netiqueta! Quer saber mais sobre o assunto?

Acompanhe nossas próximas postagens.

O Sistema Piaget disponibiliza conteúdos e tecnologias que acompanham a proposta da BNCC, estimulando o aluno a partir das melhores experiências digitais e através dos melhores produtos.

Caso tenha interesse, fale com um de nossos consultores para saber como o Sistema Piaget pode ajudar sua instituição.

Categorias
Pedagógico

Aprender brincando é coisa séria!

Pedagógico

Aprender brincando é coisa séria!

O que os estudantes fazem no tempo livre? Eles provavelmente jogam games on-line, assistem a seriados, usam as redes sociais, ouvem podcasts e se divertem com os amigos. Se é assim que eles escolhem investir o tempo fora da escola, por que não trazer essas atividades para dentro dela?

Calma, não se trata de transformar o horário escolar em um eterno recreio. Estamos falando da apropriação da metodologia e da dinâmica dos jogos e brincadeiras para ensinar.

E aqui não estamos nos referindo apenas aos jogos educativos… eles são importantes, mas ainda mantêm aquela áurea de atividade escolar x atividade de lazer.

Edutainment,
a diversão no aprendizado

Com a introdução de mais tecnologias digitais na educação, as aulas expositivas se tornaram cada vez mais desinteressantes para os estudantes e menos eficazes para o aprendizado. Elas são importantes, mas é preciso também falar a linguagem dos jovens, atrair sua atenção – com tantos outros conteúdos competindo com cores, sons e formas nas telas – engajá-los de forma ativa. 

Surge dessa necessidade o edutainment, ou edutenimento, ou seja, a junção de entretenimento e educação que visa levar o universo dos games e das atividades de lazer para o aprendizado. O edutainment não é uma metodologia específica, mas a apropriação da lógica dos jogos, das brincadeiras e de produtos de entretenimento como filmes, podcasts e séries para a educação. 

Embora a tecnologia tenha papel importante nessa educação lúdica, o edutainment não depende, necessariamente, de aparatos tecnológicos para correr e está mais ligado ao uso da criatividade, da experimentação, da gamificação e da participação ativa.

Um sistema de ensino pode ser uma solução prática e eficiente para a sua escola, na implantação desse novo aprendizado.

O Sistema Piaget se destaca nesse mercado pela adoção ampla de tecnologias educacionais, tais como: livros digitais – jogos – atividades interativas – videoaulas, são mais de 800 objetos digitais tecnológicos fazendo parte da aprendizagem. Caso tenha interesse, fale com um de nossos consultores para saber como o Sistema Piaget pode ajudar sua instituição.

Até a próxima!