Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility PENSAMENTO COMPUTACIONAL – Sistema Piaget
Categorias
Uncategorized

PENSAMENTO COMPUTACIONAL

 PENSAMENTO COMPUTACIONAL OU PENSAMENTO ALGORÍTMICO

Pedagógico

Por Maria Luísa Silvestre e Fernando Farina

Esses nomes chegam a nos assustar, não é mesmo? 

A princípio pensamos que se trata de uma aula de informática ou uma aula de qualquer disciplina usando o computador. Mas, na realidade, basicamente, pensamento computacional ou pensamento algorítmico significa “PENSAMENTO LÓGICO”.  

Tais denominações, remetem, obviamente, ao contexto computacional, pois se valem dos conceitos básicos da ciência da computação para solucionar problemas. Mas, pensamento computacional ou pensamento algorítmico é apenas um método organizacional para se chegar a uma resposta. É  um jeito de pensar para a resolução de problemas.

COMO SURGIRAM ESSES TERMOS?

Na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), incluiu-se a cultura digital na lista de competências gerais. Por isso, surgiu o termo “pensamento computacional” em substituição ao “pensamento lógico”, com o intuito de reforçar o treinamento dessa habilidade em todas as disciplinas do currículo. A mudança de nome tornou  a “lógica” um aprendizado muito mais abrangente, já que é tão necessária para a vida do estudante. 

No mundo em que vivemos, o “pensamento computacional” é exigido  até para se conquistar uma vaga de emprego.

 NA ESCOLA

A pedagogia moderna utiliza o termo “pensamento computacional” para uma metodologia que possibilita que a criança ou o adolescente consiga encontrar soluções para problemas de maneira eficaz e criativa. Trata-se de uma estratégia visando a um aprendizado de todos os conteúdos programáticos de maneira lógica e organizacional.        

Em termos educacionais, a “lógica” se manteve restrita, por muitos anos, à área de exatas, como Matemática e Física. Porém, com o desenvolvimento da tecnologia computacional, entendeu-se que a lógica pode sim ajudar no aspecto geral do processo ensino-aprendizagem, e que ela deve ser estimulada sempre, nas aulas de todas as disciplinas do currículo escolar.

 QUAIS AS VANTAGENS DO “PENSAMENTO COMPUTACIONAL”?

Como sabemos, as habilidades computacionais são praticamente natas nas crianças de hoje. Elas assimilam a tecnologia com a maior facilidade e rapidez.  

Assim, quando as crianças e os  jovens têm a oportunidade de  aprender computação, os aparelhos tecnológicos ganham um significado importante na vida deles. Entram em contato com novas linguagens e também com um novo modo de pensar, o chamado “pensamento computacional” que, bem aproveitado em âmbito educacional ou pedagógico, desenvolve muitas habilidades e  comportamentos valiosos, como:

PENSAMENTO COMPUTACIONAL NA PRÁTICA

Com a tecnologia presente cada vez mais cedo na vida das crianças, é preciso que ela seja incluída e utilizada a favor de alunos e professores também na educação. E a exemplo dos fundamentos da computação, os professores devem abordar os conteúdos programáticos com racionalidade, criando situações-problema, que vão exigir dos alunos a organização de seu pensamento.

Essa prática do pensamento computacional pode também ser realizada pelo professor em sala de aula. O que se propõe é que os alunos, mesmo os das séries iniciais, identifiquem um problema, analisem, façam associação com outros conhecimentos já adquiridos. E cabe ao professor incentivar que os alunos utilizem o que já sabem para a reflexão e encontrem possíveis respostas.    

PAPEL DO PROFESSOR

Sendo uma habilidade humana, o “pensamento computacional” pode ser desenvolvido desde a infância. Aplicado  a qualquer disciplina, não precisa, necessariamente, estar associado ao ensino da programação de computadores.

Quando seus alunos tiverem alguma dúvida sobre a matéria ou, por exemplo, sobre algum assunto da nossa realidade, estimule-os a usar o “pensamento computacional” para encontrarem os caminhos que levem a uma resposta. Explique que é necessário separar a dúvida em partes, descobrir o que deve ser pesquisado primeiro, o que pode ser pesquisado depois, quais serão os métodos de pesquisa e em que ordem serão utilizados. Peça que criem um esquema com um passo a passo para abordar o problema (que são as 4 etapas propostas).

Como professor, atue gerenciando esse passo a passo. O pensamento computacional tem muito em comum com o método científico, então mostre aos alunos o percurso para solucionar problemas, pesquisar e encontrar respostas “dando um passo de cada vez”. 

PENSAMENTO COMPUTACIONAL ATÉ NO AFAZERES DOMÉSTICOS 

        Existe uma proposta até engraçada, mas  bem didática, que ensina lavar roupa na máquina a partir do “pensamento computacional”, seguindo, portanto, as 4 etapas:

          1ª-  Dividir as roupas por cores e tipos de tecido (Decomposição);

          2ª-  Lembrar que, em outras vezes, você já manchou roupas ou teve roupas com fiapos grudados (Padronização);

          3ª- Manter o foco no essencial, ou seja, reconhecer os fatores que geram o problema: roupas escuras mancham roupas brancas e as escuras ficam com fiapos das brancas  / toalhas soltam fiapos em todas as outras peças (Abstração);

4ª- Estabelecer a ordem para execução da tarefa: em quantas vezes você fará o processo de lavagem e  como serão as fases para cada grupo separado e, assim, obter o resultado acertado de as roupas ficarem limpas e conservadas (Algoritmo).

AULAS DE SUCESSO

O pensamento computacional pode ser utilizado cotidianamente. A todo momento, se fazem necessários: a organização, o planejamento, o foco no essencial, as estratégias para que qualquer atividade atinja os resultados esperados.

Em vez de você, professor, planejar tudo, organizar tudo, dar as respostas e apontar as soluções, peça para os alunos fazerem isso. Ou melhor, ensine-os a fazer isso, treine-os para que façam isso. A sua intermediação e orientação são essenciais. Não se trata de modo algum, de lançar simplesmente para eles tais tarefas. É preciso esclarecer, explicar, auxiliar, orientar, acompanhar…

Aplicando essa  metodologia do  pensamento computacional,  os seus alunos terão maior autonomia, maior participação, maior interesse e um aprendizado muito mais significativo.

A prática de Pensamento Computacional já é indicada pela BNCC e as escolas precisam dar atenção a esta exigência que, com certeza, beneficia os alunos.

No material didático do Sistema Piaget, a resolução de situações-problema através da tecnologia é praticada desde as séries iniciais, com exercícios que aliam o conhecimento dos alunos e o uso de técnicas práticas para que o conhecimento seja assimilado pelos estudantes logo quando é apresentado pelos professores.

O Sistema Piaget busca dar as ferramentas necessárias para que as escolas possam exercer seu papel da formação de cidadão para o mundo. Entre em contato com nossos consultores através do WhatsApp!

Mantenha-se informado sobre as novidades na educação, acompanhando nosso blog. Em nossas redes sociais também temos conteúdos exclusivos. Confira!

Receba nossa newsletter!