Categorias
Pedagógico

LEITURA E PROJETO INTERDISCIPLINAR

LEITURA E PROJETO INTERDISCIPLINAR

(para Educação Infantil e Fundamental I)

Pedagógico

Por Maria Luisa Silvestre

Por que ler é tão importante?

É consenso entre os pedagogos a importância da leitura para a formação global do indivíduo. Quem lê compreende melhor a realidade e desenvolve o raciocínio, a visão crítica e suas próprias potencialidades. Isso sem falar que a leitura promove a ampliação do vocabulário e auxilia a expressão em todos  os seus aspectos, principalmente a da fala e a da escrita.

Hoje, a Educação está aliada à Neurociência, que nos explica que o cérebro deve ser estimulado bem cedo, que o “gostar de ler”, “o interesse por livros” precisa se iniciar já na Educação Infantil. Por isso, os estudiosos  afirmam que “Contação de História” (a professora lendo o livro para os pequenos e mostrando as páginas para eles, assim como deixando que após sua leitura manuseiem o livro) é também uma forma de ler, é o preparo básico e essencial para, dali a um tempo, se estabelecer a habilidade de eles próprios fazerem a leitura. 

Quais os métodos para o aluno gostar de ler?

O método tradicional de a professora ler a história ou, no caso do Fundamental I, de os alunos lerem sozinhos, e depois ocorrer uma discussão ou uma provinha escrita não é o suficiente

O aluno começa a se interessar pelo livro ou até se  apaixona por ele quando percebe que é repleto de ideias, que o enredo se relaciona de alguma forma com o seu cotidiano e que possibilita a realização de várias atividades interessantes. Para tanto, deve-se aplicar a metodologia moderna da LEITURA COM INTERDISCIPLINARIDADE.

Passo a passo para uma leitura com interdisciplinaridade:

1-  Escolha dos livros

         Além de se levar em conta a faixa etária do aluno, as obras devem ser escolhidas pela riqueza de sua temática, possibilitando a reflexão sobre os relacionamentos, quer com as pessoas, quer com o meio ambiente em geral. Sempre encontramos livros (hoje são variadíssimos) que abordam aspectos socioemocionais, valores e virtudes, atitudes de preservação da natureza, etc. A escolha certa é a do livro que traz contextualidade.

2- As disciplinas que sempre podem se integrar à Língua Portuguesa no projeto de leitura

         O aluno valoriza muito  o seu livrinho quando, além das aulas de Língua Portuguesa, ele é abordado em aulas de outras matérias do currículo. É raro um livro de temática atual não permitir a interação com duas, três ou mais  disciplinas.

          Por isso, o Colégio Piaget (Escola de aplicação do Sistema Piaget) planeja o estudo do livro com atividades ligadas à:

         ARTE – Após a “contação da história” ou a própria leitura, o aluno desenha, faz pintura ou colagem dos personagens ou de alguma cena do livro de que mais gostou. Pode também usar massa de modelar para sua representação ou outro material da escolha do professor.

 (Criação dos personagens da história)

MATEMÁTICA – Exercícios de números para os pequenos (por exemplo: Quantos personagens há na história?) e problemas matemáticos “inventados” pela professora a partir do enredo da história, citando o ambiente, o nome dos personagens, o gosto ou características deles. É claro que os exercícios devem ser criados em compatibilidade com o que se  esteja estudando no momento.

       GEOGRAFIA E HISTÓRIA – Qual a cidade em que ocorre a história? Qual a paisagem do local? Existe algo pitoresco que caracteriza o espaço mencionado? (Sugere-se pesquisa na internet, confecção de mapa, recorte e colagem para montar o ambiente.) 

      CULTURA MAKER – No Colégio Piaget, desenvolve-se com frequência a “cultura maker”, que é a pedagogia do “faça você mesmo”, ou seja, os alunos, utilizando materiais de todos os tipos, principalmente recicláveis e que já possuam em casa,  criam, modificam, inventam. No caso do livrinho, uma possibilidade é usar essa metodologia para criar tanto os cenários da história quanto os personagens ou alguns elementos ligados a eles.

(Montagem do chapéu do personagem Pedro, do livro “Pedro e Tina”)

CUSTOMIZAÇÃO –  É uma metodologia que os alunos adoram e é aplicada pelo Colégio Piaget desde os pequenos da Educação Infantil. A customização se diferencia da “cultura maker” porque se restringe à criação de uma roupa ou peça de vestuário. De modo improvisado, recortando sobras de tecido ou trajes que não servem mais, os alunos criam as vestimentas dos personagens de acordo com a descrição do livro. Mas vale acrescentar um enfeite, pintar, colocar um acessório, ou seja, mudar um pouco. O importante é liberar a criatividade. 

      INGLÊS E ESPANHOL – Os professores de língua estrangeira podem sempre participar. Com os pequenos, podem  ensinar algumas palavras referentes ao conteúdo do livro. Com os maiores, conversar sobre o livro, questioná-los, levando-os a responderem na língua específica, e até pedir que escrevam algo sobre a história. O nível da conversa e da abordagem depende do grau de conhecimento da língua estrangeira, mas um pouquinho sempre pode ser feito com a criatividade do professor. 

TEATRO-  Uma dramatização de alguns acontecimentos do livro pode ser improvisada até em aulas on-line, com os alunos representando suas falas na live. E é possível, inclusive, usar as roupas que customizaram anteriormente. Também podem fazer bonecos de varetas e cada um de sua casa vai fazendo a atuação.

 (Capa do livro e representação de cenas vivenciadas por Pedro e Tina)

3- As disciplinas que às vezes podem se integrar à Língua Portuguesa no projeto de leitura

        MÚSICA – Dependendo do tema da história, se a escola tiver professor de Música, este pode  tocar uma música que combine com o assunto  e fazer os alunos cantarem. Mesmo a professora da sala pode colocar uma música com temática similar para eles ouvirem e cantarem  juntos.

         CULINÁRIA – Muitas vezes o livro menciona uma comida ou uma fruta, ou ainda trata de uma região típica. Nessas hipóteses, uma atividade que os alunos apreciam bastante é preparar o alimento e fazer a degustação. No caso de aula on-line, um adulto sempre dá uma mãozinha.

                         (Capa do livro e as crianças, seguindo a live, fazendo bolo de caneca de micro-ondas)

EDUCAÇÃO FÍSICA-  Em alguns casos, os professores de Educação Física conseguem organizar uma “gincana” ou uma brincadeira de “caça ao tesouro”, na quadra ou demais espaços abertos da escola, fazendo um gancho com algum aspecto tratado na obra. 

4 – Exposição dos trabalhos          

Se as aulas forem presenciais ou híbridas, os trabalhos das turmas (desenhos, pinturas, criações maker e produção de textos em Português, Inglês e Espanhol) podem formar uma exposição em lugar específico da escola ou no próprio corredor das salas, para apreciação dos demais colegas.

Quantas disciplinas devem participar do projeto de leitura?

Não há uma quantidade determinada. A Língua Portuguesa associada a mais uma disciplina já enriquece o trabalho de leitura. Mas quanto mais matérias puderem dar sua contribuição, dependendo do livro escolhido, teremos a garantia de um aprendizado muito maior e do grande objetivo: desenvolver o gosto pela leitura.

A interdisciplinaridade no material “Sistema Piaget”

No material do Sistema Piaget, a interdisciplinaridade está presente em todos os Volumes e em todas as disciplinas, especialmente na seção “Integrando com…”, que propõe atividades de debate, reflexão ou pesquisa a fim de relacionar os vários componentes curriculares. Essa relação interdisciplinar permite aos alunos estabelecer conexões amplas dos saberes e é organizada de forma a respeitar a horizontalidade dos conteúdos.  

O Sistema Piaget possui um material completo, com inúmeros recursos de aprendizagem disponíveis para tornar a sua aula diferenciada e motivadora.

Quer saber mais? Entre em contato com nossa equipe comercial via WhatsApp: (11) 96308-1190

Receba nossa newsletter!