Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility AULAS DE EMPREENDEDORISMO NÃO PODEM FALTAR NA GRADE CURRICULAR – Sistema Piaget
Categorias
Pedagógico Uncategorized

AULAS DE EMPREENDEDORISMO NÃO PODEM FALTAR NA GRADE CURRICULAR

AULAS DE EMPREENDEDORISMO NÃO PODEM FALTAR NA GRADE CURRICULAR

Pedagógico

Por Maria Luísa Silvestre e Fernando Farina

Atualmente, nas escolas, já não basta o ensino das disciplinas tradicionais. Além das aulas regulares, os alunos precisam de outros conhecimentos, como as aulas de Educação Financeira. Entretanto, educar financeiramente não consiste apenas em ensinar a economizar, cortar gastos e poupar dinheiro. Os alunos aprendem a ter comportamentos que priorizem um planejamento para o futuro, visando obter uma boa qualidade de vida.

Especialistas financeiros e pedagogos acreditam que a falta de planejamento, o gasto exagerado, a despreocupação em poupar e em pensar no futuro são atitudes decorrentes da ausência da Educação Financeira nas escolas, aprendizado que precisa ser iniciado juntamente com as primeiras noções sobre dinheiro para se adotar hábitos de consumo conscientes para a vida toda.

No material didático da Educação Infantil do Sistema Piaget, os alunos aprendem o valor do dinheiro e a como gastá-lo com sabedoria.

APRENDENDO A NOÇÃO DO VALOR DAS COISAS DESDE CEDO

As crianças precisam aprender a noção do valor monetário das coisas. Por isso, desde o 1º ano do Ensino Fundamental, o educador tem o papel de conscientizá-las de que tudo tem um custo e nem sempre é necessário adquirir o que se vê nas propagandas.

Além dos ensinamentos de poupar, de economizar para uma emergência ou de algo que se deseje muito, convém discutir com muito empenho o consumismo. Questionar as crianças: comprar por quê? Existe mesmo a necessidade dessa compra? Devemos comprar por impulso? É possível ter lazer sem consumo?

Outro aspecto a ser discutido com as crianças se refere ao egoísmo. Sabemos que as crianças pequenas, em geral, são egoístas, mas têm de ser educadas para perderem o egoísmo conforme vão crescendo. O oposto do egoísmo é a solidariedade. Portanto, um curso de Empreendedorismo não é apenas ensinar a ter e a somar, é também ensinar a verificar o que precisamos de verdade, o que é excesso, o que é ser egocêntrico e o que pode ser dividido com outras pessoas.

No material didático dos anos iniciais do Ensino Fundamental, os personagens se envolvem em situações que destacam a educação financeira.

SABENDO POUPAR, NÃO VAI FALTAR

Os pré-adolescentes e adolescentes do Fundamental II já estão preparados para receberem lições úteis e mais aprofundadas sobre o que é poupar, investir, pensar no futuro… Enfim, podem aprender a fazer planejamentos, cálculos matemáticos, previsões a curto, médio e longo prazo. Em oficinas simuladas, até a aposentadoria pode ser planejada.

Para realizações financeiras próximas, cotidianas, existem modelos específicos de “orçamentos pessoais”, um tipo de planejamento financeiro que evita de a pessoa gastar mais do que ela recebe, evitando o bicho-papão das finanças, que é o endividamento. Cabe ao educador enfatizar a importância dos gastos moderados, sem aquelas famosas “compras por impulso”.

Os alunos precisam se conscientizar dos resultados negativos do “consumo exagerado” para o próprio consumista e para o meio ambiente, já que quem consome em demasia descarta produtos com facilidade e gera muito mais lixo.

E o empreendedorismo também incentiva a autoconfiança, o hábito do planejamento e a crença de que os sonhos e as boas ideias que tiverem poderão sim se tornar realidade.

Nos anos finais do Ensino Fundamental, os alunos se envolvem mais profundamente com temas sobre educação financeira.

EMPREENDEDORISMO HUMANO E EM PROL DE UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Nas propostas de Educação Financeira ou Empreendedorismo, os valores éticos não podem ser desprezados. O empreendedorismo correto se engaja a valores e virtudes, principalmente com práticas positivas: de respeito às pessoas e à natureza, de aceitação das diferenças, de um relacionamento harmonioso e de solidariedade.

O SISTEMA PIAGET E O EMPREENDEDORISMO

Nos materiais do Sistema Piaget, os alunos aprendem que o empreendedorismo se dá pelo consumo consciente, planejamento, valores éticos e respeito ao meio ambiente.

Mais que atender às exigências da BNCC, fomentar o empreendedorismo na escola é uma questão de exigência da contemporaneidade. Nesse sentido, é preciso aproveitar esta fase de renovação das abordagens do Ensino Médio a fim de gerar a inovação necessária para que seus alunos ingressem na universidade mais preparados ao enfrentamento de um mundo tão volátil e em constante transformação.


O Sistema Piaget busca dar as ferramentas necessárias para que as escolas possam exercer seu papel da formação de cidadão para o mundo. Entre em contato com nossos consultores através do WhatsApp!

Mantenha-se informado sobre as novidades na educação, acompanhando nosso blog. Em nossas redes sociais também temos conteúdos exclusivos. Confira!

Receba nossa newsletter!