Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility O PAPEL DA ESCOLA NOS HÁBITOS ALIMENTARES – Sistema Piaget
Categorias
Uncategorized

O PAPEL DA ESCOLA NOS HÁBITOS ALIMENTARES

O PAPEL DA ESCOLA NOS HÁBITOS ALIMENTARES

Por Maria Luísa Silvestre

Mais do que nunca a escola tem papel relevante na formação dos estudantes em todos os aspectos do conhecimento. Além de promover aprendizados intelectuais ou cognitivos, também é responsável por estimular habilidades emocionais, sociais, físico-motoras, ecológicas, artísticas, entre outras.  

Na atualidade, os pais trabalham muito, e os alunos das escolas particulares ficam mais tempo no ambiente escolar, inclusive frequentando o período integral. 

Então, para atender às necessidades práticas do cotidiano das famílias, as boas escolas passaram a oferecer período extra, com aulas de esporte e cultura, artes, projetos literários (atividades baseadas na  leitura de livros), relaxamento, yoga, etc. 

Todos da escola (diretores, coordenadoras e professores) tiveram de se reinventar, ser mais criativos, usar outras ferramentas e metodologias para elaborarem aulas motivadoras, contextualizadas e interativas. Enfim, a equipe escolar precisou ampliar suas competências profissionais.

A escola de hoje CUIDA de seus alunos.

CUIDANDO DO SOCIOEMOCIONAL

Para poderem evoluir e ampliar as suas potencialidades, os alunos têm de gostar da escola, gostar dos professores, gostar dos colegas.

Criar um ambiente de bom relacionamento é função da escola. Os profissionais da Educação entenderam que a empatia com os alunos é essencial para motivá-los nos estudos; que o diálogo precisa ser constante; que os conteúdos socioemocionais devem fazer parte da grade curricular. 

Aulas de Socioemocional, com dinâmicas, oficinas, bate-papos e jogos de equipe que incentivem a expressão (oral, física ou artística) dos pensamentos e sentimentos dos alunos devem ser agendadas semanalmente, quer no período pedagógico, quer  no período integral. 

Essas práticas de autoconhecimento, de conhecimento do outro, de autorrespeito e de respeito ao outro promovem equilíbrio emocional e convivência amistosa.

CUIDANDO DA SAÚDE FÍSICA

Além da preocupação com o bem-estar emocional e social, a escola passou a ter a incumbência de ajudar na saúde física de seus alunos. E, como saúde e alimentação andam juntas, a ênfase está na EDUCAÇÃO ALIMENTAR. Se antes ela era tratada de modo teórico, principalmente nas aulas de Ciências, agora ela é uma ação diária, já que os alunos se alimentam basicamente na escola.

Na verdade, a escola sempre se empenhou  em conscientizar os seus alunos sobre a importância do consumo equilibrado dos alimentos na hora das refeições. Desde a Educação Infantil, os professores organizam aulas apresentando a PIRÂMIDE ALIMENTAR, para  mostrar quais são os alimentos benéficos à saúde e que devem ser ingeridos em maior quantidade. Falam bastante da importância de montar um “prato colorido”, com alimentos diversos, entre eles  verduras, legumes e frutas.

Piqueniques só de frutas e degustação de vegetais colhidos da horta da escola já eram atividades  que constavam nos planejamentos  dos professores.

Mas, no momento, a escola exerce maior influência nos hábitos alimentares, já que ela é responsável pelo almoço, a nossa principal refeição do dia.

OPÇÃO VEGETARIANA NO RESTAURANTE DA ESCOLA

Muitas pessoas  estão aderindo a um estilo de vida mais saudável, fazendo exercícios físicos e seguindo uma rotina alimentar vegetariana.

 Os nutricionistas e médicos especialistas em hábitos alimentares são unânimes em considerar que, com o planejamento correto, uma dieta vegetariana com boa variedade de alimentos pode suprir todas as necessidades nutricionais — tanto de adultos quanto de crianças e adolescentes —, e ainda evitar a obesidade, o risco de diabetes, alguns tipos de câncer e doenças cardíacas.

Devido a tantas vantagens, convém disponibilizar um cardápio especial para alunos vegetarianos e que possa influenciar outros a fazerem adesão a essa dieta saudável.

Saladas, legumes, feijão, lentilha, grão-de-bico e arroz integral devem ser  oferecidos cotidianamente. Já outras comidinhas, como hambúrguer de soja e lasanha de palmito, por exemplo, quando aparecem como pratos do dia costumam agradar a todos, até aos alunos que não são vegetarianos. 

E como ocorre na sua escola? O restaurante ou refeitório apresenta opções vegetarianas?

Considerando que o vegetarianismo ganha cada vez mais adeptos, a escola precisa se preparar para essa realidade. Alteração no cardápio será, com certeza, mais uma das boas propostas que visam promover hábitos em prol da saúde. 

Receba nossa newsletter!